O Espírito Santo fechou o ano de 2017 com taxa de desocupação de 11,6%, segundo Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios Contínua do IBGE, divulgada nesta sexta-feira (23). O indicador ficou 0,2 p.p. abaixo do patamar nacional no último trimestre (11,8%), fato não ocorrido desde o terceiro trimestre de 2015 – de acordo com nota publicada pelo Instituto de Desenvolvimento Educacional e Industrial do Espírito Santo (Ideies).

Houve queda de -1,4% na taxa de desocupação em relação ao terceiro trimestre de 2017 no Estado (13%), quarto trimestre consecutivo de recuo. Segundo a pesquisa, do total 1,862 milhão de pessoas ocupadas no Espírito Santo, 350 mil estão no setor produtivo – sendo 213 mil na indústria geral (transformação, serviços industriais de utilidade pública e indústria extrativa) e 137 mil trabalhadores na construção civil.

Na variação entre os últimos dois trimestres, houve queda de -3,7% no pessoal ocupado da indústria geral e alta de 0,7% na construção civil. Na comparação com o quarto trimestre de 2016, o resultado é melhor: acréscimo de 7,2% na indústria geral e 6,1% no setor de construção civil. Para o diretor-executivo do Ideies, Marcelo Saintive, os dados enfatizam a tendência de recuperação da economia capixaba.

“Diferentes indicadores têm reforçado a curva ascendente da economia capixaba, a exemplo da alta da produção física da indústria (1,7%), da prévia do PIB – calculada a partir do IBCR-ES (1,5%) – e, agora, a queda taxa de desocupação. O equilíbrio das contas públicas e o aquecimento do setor industrial são determinantes para a manutenção do ciclo de crescimento que se consolida no Estado”, destacou Saintive.

Os números reforçam análise publicada pelo Ideies no Fato Econômico Capixaba de fevereiro, produzido com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). O estudo mostra que, após registrar redução de 37.914 postos de trabalho em 2016, a economia capixaba teve saldo negativo de apenas 2.053 demissões em 2017.

Confira as publicações completas no site do Ideies: www.ideies.org.br

Imprimir