A Câmara Setorial de Alimentos e Bebidas, em conjunto com os sindicatos, estão trabalhando na definição dos requisitos essenciais para que as empresas do Espírito Santo possam obter o selo de 100% capixaba. A informação é do executivo Fábio Dias, da Câmara Setorial de Alimentos e Bebidas. O levantamento dos requisitos é uma etapa essencial para o processo de criação do selo, pois irá criar o regulamento e nivelar as empresas capazes de obter o selo, considerado uma oportunidade de aumentar a visibilidade de seus produtos. Mas, o executivo da câmara informa que o nível de exigência não terá uma dificuldade muito elevada neste momento, por uma decisão dos conselheiros da câmara.

A proposta é de que as exigências possam aumentar no recorrer da implantação do programa, que terá um processo de avaliação constante. Existe um Grupo de trabalho trabalhando na elaboração dos requisitos mínimos, bem como a definição de uma governança que fará a gestão do programa, acompanhando a execução do mesmo.

O objetivo do selo é valorizar o produto capixaba. As empresas dos setores que estiverem em conformidade com os requisitos mínimos poderão colocar em suas embalagens que seu produto é 100% capixaba. “Queremos criar uma identidade para o produto capixaba e uma aproximação maior com os meios reguladores, pois existe muita informalidade no nosso setor. Uma de nossas metas é criar uma integração e articulação maior entre os setores que compõem essa cadeia desde o produtor, a indústria, o comerciante e o consumidor”, alerta o presidente da Câmara de Alimentos e Bebidas, Vladimir Rossi.

“Faz parte da nossa lista de objetivos fazer com que a população identifique nos estabelecimentos comerciais quais produtos são capixabas e deem preferência no ato da compra. A indústria capixaba de alimentos e bebidas produz produtos de grande qualidade e a população capixaba precisa tomar conhecimento. E o selo vai exatamente ao encontro deste objetivo de valorização do produto capixaba”, comenta o executivo Fábio Dias.

A Câmara Setorial das Indústrias de Alimentos e Bebidas objetiva propor, apoiar e acompanhar ações para o desenvolvimento das atividades dos setores a ela relacionados, formular e propor políticas públicas, fixar diretrizes e prioridades para a consecução de ações na busca do aumento da competitividade de toda a cadeia Agroalimentar do Estado. E é composta pelos seguintes sindicatos:

• Sindimassas (Sindicato da Indústria de Massas Alimentícias e Biscoitos)
• Sindibebidas (Sindicato da Indústria de Bebidas em Geral)
• Sincongel (Sindicato da Indústria Alimentar de Congelados, Supercongelados, Sorvetes, Concentrados e Liofilizados)
• Sindicacau (Sindicato da Indústria de Produtos de Cacau e Balas, Doces e Conservas Alimentícias)
• Sincafé (Sindicato da Indústria de Torrefação e Moagem de Café)
• Sindifrio (Sindicato da Indústria de Frio)
• Sindipães (Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitaria)
• Sindiplastes (Sindicato da Indústria de Materiais Plásticos do Estado do Espírito Santo) e por órgãos setoriais
• Sindilates (Sindicato das Indústrias de Laticínios do Estado do Espírito Santo)
• Sindipesca (Sindicato das Indústrias da Pesca do Estado do Espírito Santo)
• Sindifabra (Sindicato da Indústria de Fabricação de Ração Animal do Estado do Espírito Santo)
• Siges (Sindicato das Indústrias Gráficas do Estado do Espírito Santo)
• Sindirepa-ES (Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios do Estado do Espírito Santo)
• CINDES JOVEM (Centro da Indústria do Espírito Santo)

Imprimir